Plano B: Por Que Você NÃO Deveria Ter Um

plano B - concurso público

O problema do plano B é que quando você não tem fé em si mesmo, acaba se dedicando mais a ele do que ao plano A. Por isso, é melhor não ter um!

Entenda nesse artigo por que você não deveria manter um plano alternativo ao seu objetivo maior.

Afinal, o que é ter um plano B?

Achamos válido primeiro conceituar o que é um plano B.

Para os própositos deste artigo, entenda-o como qualquer projeto ou tarefa, mais fácil de alcançar ou mais prazeroso do que a aprovação em concursos públicos, que você usa como fuga para não estudar.

Mais do que um plano, é como se o plano B fosse um mindset, uma mentalidade pré-definida.

São exemplos de comportamentos que indicam a mentalidade do plano B:

  • Quando você não quer estudar e vai ver Netflix, afinal, “só hoje não tem problema”
  • Quando você deixa de prestar um concurso porque está confortável no seu emprego atual
  • Se você presta um concurso que não te interessa
  • Quando você se diz “sim” às demandas de outras pessoas, para evitar os estudos para concursos

Atenção: ter um emprego para se sustentar enquanto estuda para concursos não é um plano B! No entanto, recorrer ao conforto e à segurança desse emprego quando bate a vontade de não estudar, é, sim, um plano alternativo!

Da mesma forma, um concurso escada não é um plano B.

O concurso escada é o próprio plano A, pois você se dedica a ele como degrau, etapa necessária, para poder prestar concursos maiores e mais desafiadores.

Lembre-se: tudo que se alinha ao seu objetivo não faz parte do plano B.

Para analisar se algo se trata ou não de um plano B, analise a sua motivação por trás da ação:

Ou seja, é uma ação necessária, que de certa forma contribui para a realização dos seus objetivos, ou uma forma de escape, uma forma de se manter na sua zona de conforto?

Por que mantemos um plano B?

Uma característica comum a muitos de nós é o medo do fracasso.

Seja pela reprovação social que acompanha o fracasso, ou pela reprovação interna, chega a ser normal que deixemos de tentar por medo de falhar.

Por isso, quando você não acredita em si mesmo, passa a trabalhar mais para o plano B do que para o plano A. Afinal, o plano B tem sucesso mais garantido, enquanto o plano A é um terreno de incertezas, não é mesmo?

Por essa razão, mantemos nossos planos alternativos: como uma forma de nos atracar a um porto seguro, uma âncora no conforto que tanto valorizamos.

E por que você, concurseiro, não deveria se permitir ter planos B?

Porque enquanto você tiver um plano B, vai deixar aberta a possibilidade “posso passar no concurso se estudar bastante“, mas vai continuar sem se comprometer com o plano A.

Enquanto você tem um plano B em mente, você não se dedica totalmente.

Quando o plano B está em andamento

Às vezes, o plano B já está até em andamento.

O fato de estar em uma situação confortável, como um emprego que paga bem, sustentado pela família, etc. é um gerador inconsciente de desculpas para não ir atrás do plano A.

Na realidade, você não deixa de estudar porque é um procrastinador, e sim é um procrastinador PORQUE não quer estudar.

Qual o sentido de arriscar seu bem estar emocional em um caminho tão incerto quanto o dos concursos, quando você está confortável onde está?

Uma parábola que tem tudo a ver com a mensagem que estamos tentando passar vem dos ensinamentos de Napoleon Hill:

“Há muito tempo, um grande guerreiro se viu diante de uma circunstância em que era necessário tomar uma decisão que garantisse a vitória no campo de batalha. Devia lançar seu exército contra um poderoso adversário, que contava com tropas muito mais numerosas. Embarcou seus homens em navios e velejou rumo ao país inimigo. Lá, desembarcou soldados e equipamentos e deu a ordem de queimar os navios em que tinham viajado. Dirigindo-se aos seus homens, antes da primeira batalha, disse: – Vocês estão vendo os navios em chamas. Isso significa que só sairemos vivos daqui se vencermos! Agora, não temos escolha. É vencer ou morrer! Eles venceram.”

Como eliminar os planos B

Então, caro leitor, agora que você sabe o que é um plano B, é hora de aprender a elimina-lo!

O primeiro passo é identificar tudo o que você usa como desculpa para não estudar ou para não se dedicar o bastante.

Por isso, sempre que algo ou alguém te “impedir” de estudar, analise todo o contexto: o que está acontecendo, o que estou fazendo em vez de estudar, como me sinto sobre isso.

Se estiver em dúvidas, reflita sobre a situação: de que forma isso contribui para que eu alcance o meu objetivo?

Caso não encontre nenhuma resposta convincente, você saberá que está lidando com um plano B.

Agora, elimine os planos B ou substitua por ações mais produtivas. Pensando nos exemplos que demos acima, você poderá:

  • Cancelar a assinatura do Netflix
  • Abrir mão da estabilidade de um emprego que não te faz feliz para ir atrás dos seus sonhos
  • Prestar todos os concursos que te interessem, independentemente do nível de dificuldade
  • Dizer “não” a quem te tira da rota: veja como fazer isso nesse post.

Para finalizar, entenda que a sua função é queimar os navios e lutar o máximo que puder pelo plano A.

Só assim garantirá a dedicação total ao seu objetivo!

Leia também: Os Três Pilares do Método de Estudos Ideal

 

Outras publicações

Entre em contato

Mentoria Polícia Federal