Como estudar para discursivas em concursos

Se você tem dúvida de como estudar discursivas para concursos, esse artigo é para você!

Continue lendo para aprender as etapas da preparação para a prova discursiva de uma vez por todas.

Antes de estudar para discursivas…

Antes de mais nada, é importante saber de que forma sua discursiva será cobrada.

Por exemplo: serão questões dissertativas sobre atualidades, sobre o conteúdo programático do edital, e qual o gênero e tipo textual?

Dentro das questões sobre o conteúdo do edital podemos ter questões teóricas, estudos de casos, peças práticas, e por aí vai.

Assim, você deverá identificar essa informação no seu edital e buscar entender a estrutura da sua discursiva: ela tem introdução? Qual a “fórmula” para desenvolver os parágrafos?

Lembre-se que os examinadores geralmente seguem essas fórmulas para correção das discursivas (ex. Eles esperam uma introdução, argumentos e conclusão – nessa ordem).

Saiba que aprender a técnica de “como escrever a discursiva” é o primeiro passo.

Além disso, é importante identificar no edital os critérios de correção, mínimo e máximo de linhas, pontuação atribuída a cada critério de correção – tudo isso irá direcionar seu estudo.

Por exemplo, se você sabe que a banca desconta muitos pontos por erros gramaticais, poderá dar mais atenção a esse aspecto do que a outros critérios na hora de estudar para discursivas.

Exemplo de critérios de correção de um edital da banca CESPE:

Como estudar estudar para discursivas em concursos

Agora que você já passou pelas etapas iniciais de preparação, já vamos adiantar aqui: a principal forma de  estudar para discursivas em concursos é TREINAR muito.

Por isso, programe-se para fazer discursivas toda semana ou, pelo menos, a cada quinze dias.

Dessa forma, você já pode deixar alguns temas pré-definidos para não ter que ficar procurando na hora programada para escrever.

Também separe provas antigas condizentes com a forma com que será cobrada na sua prova, ou busque por temas inéditos de cursinhos na internet.

E você também pode montar um grupo de estudos em que cada um elabora um tema para os outros, formando, assim, uma coleção de temas para todos usarem.

Tendo a sua “fórmula” da discursiva em mãos, só resta começar a escrever!

Estudo da Língua Portuguesa

Para se dar bem em discursivas, também torna-se imprescindível o estudo constante de Língua Portuguesa, tanto da gramática quanto da estrutura dos textos.

Assim, há vários cursos de redação que te dão algumas “fórmulas” que devem ser seguidas na hora de montar cada tipo de texto.

E um bom curso também trará conteúdos sobre as principais normais gramaticais que você deve conhecer para escrever uma boa discursiva.

Importante notar que, muitas vezes, não será um especialista no tema em questão que irá corrigir sua discursiva, mas sim um professor de Língua Portuguesa que seguirá certos critérios pré-estabelecidos.

Isso ressalta ainda mais a necessidade de se seguir uma estrutura conhecida e não negligenciar o estudo da língua portuguesa.

Às vezes a ‘cara’ da redação (ortografia correta, letra bonita, coerência, coesão) acaba tendo mais peso do que o próprio conteúdo – novamente, ressaltamos a importância de se conhecer os critérios do seu edital.

Correção das redações

Além da prática, também é ideal ter alguém para corrigir sua discursiva baseado nos critérios do seu edital.

Para isso, há professores e servidores especializados nesse serviço, mas caso não consiga arcar com esse custo, encontre um “companheiro de discursiva” para trocar redações, e um corrige a discursiva do outro.

Após a correção, analise as observações feitas e tente reescrever a redação após um tempo, seguindo as recomendações feitas.

Vale notar que a correção da discursiva não serve só pra você ver sua nota e saber se está indo bem ou mal.

Assim, todos os aspectos da correção e observações do professor devem servir de feedback para as próximas discursivas.

Ou seja, você estuda o que errou, onde precisa melhorar, e aplica ações corretivas para a próxima redação.

Como estudar para discursivas de atualidades

Caso sua discursiva seja do tema atualidades, será necessário manter um estudo concomitante desses conteúdos.

A principal forma de fazer isso é entrando em um bom cursinho que trabalha temas da sua carreira, além da leitura de artigos e livros para que você consiga construir um raciocínio crítico sobre possíveis temas.

Nessa modalidade de discursiva, não basta acompanhar o noticiário ou ler jornal todos os dias.

Você precisa saber desenvolver um raciocínio crítico e lógico e, principalmente, saber colocar isso no papel.

Veja nesse nosso artigo como estudar atualidades para concursos mais informações sobre essa parte do estudo para discursivas.

Como estudar para discursivas de Perícia Criminal

É comum que nas provas da área da perícia criminal sejam cobradas questões teóricas ou estudos de caso sobre o conteúdo específico de cada carreira.

Para estudar para essa modalidade, é imprescindível um bom domínio teórico dos principais tópicos do seu conteúdo programático.

Pois a prevalência de cobrança dos temas na prova discursiva segue a mesma prevalência da prova discursiva, então você deve dominar o que mais cai ou já caiu em concursos.

Aqui, novamente, a prática é essencial.

Não se estuda para a discursiva apenas lendo a teoria, ou apenas fazendo questões múltipla-escolha.

Então você precisará também buscar provas anteriores que tenham esses modelos de cobrança para treinar (como as da PCDF 2016 e PCPE 2016). 

Finalizando

Por fim, não deixe para estudar para discursivas nas vésperas da prova.

O estudo deve ser constante e com muita prática.

De nada adianta dominar a teoria e fazer cinco cursos de redação, e não fazer nenhuma discursiva.

Se você gostou do conteúdo, lembre-se de compartilhar!

Até mais.