fbpx

Os Três Pilares do Método de Estudos Ideal

método de estudos para concurso público

Você sabe quais os três pilares do método de estudos ideal?

Sabemos que nenhum concurseiro deve esperar por um método de estudos milagroso, que levará à aprovação com menos esforço.

Por isso, cada um deve se dedicar em encontrar as técnicas e metodologias que melhor se aplicam ao seu nível de estudos e tipo de prova.

No entanto, podemos citar três elementos que são indispensáveis para um estudo de qualidade.

Quer saber quais são? Continue lendo!

Três pilares do método de estudos ideal

Ao acompanhar a trajetória de aprovados em concursos públicos, notamos a presença de três elementos essenciais nas suas metodologias de estudo:

  • Material de qualidade
  • Revisões periódicas
  • Questões de concursos

Assim, percebemos que embora cada um tenha seguido métodos diferentes, todos incluíram esses três pilares de alguma forma na sua metodologia de estudos.

Então no artigo de hoje vamos falar sobre a importância desses elementos, e explicar como você pode inclui-los no seu método de estudos.

Começando pelo…

Material de qualidade

Sem um material confiável e completo, que proporcione um bom método de estudos, é impossível ter qualidade nos estudos.

Primeiro é preciso ter em mente que não existe “o melhor material”.

E claro que existem materiais ruins e outros excepcionais, mas se um curso ou livro cobrir 70% da disciplina – geralmente não passam disso -, já é mais do que suficiente para começar a construir sua base.

Existem materiais de diferente abordagem e profundidade, e cada um deve se dedicar em encontrar o “seu material”.

Por isso, é muito importante avaliar criticamente antes de resolver investir em um curso ou livro novos.

Assim, um mau investimento pode te fazer perder tempo e dinheiro, e um bom investimento pode acelerar a sua aprovação.

Mas antes de falar mais sobre a escolha do material, tenha cuidado com os rateios!

Trata-se de prática ilegal, que pode trazer consequências judiciais, além de eliminar um candidato na etapa de investigação social.

Então vamos aos principais fatores que vocês devem analisar na hora de escolher o material de estudo:

1 – Tipo de mídia

Qual o formato do material de estudo: livro, PDF, videoaula, podcast?

Antes de comprar qualquer material você precisa analisar qual se adapta melhor às suas necessidade.

E uma dica que passamos aos nossos leitores, e que ajudará muito no aproveitamento do seu tempo, é dar preferência a materiais escritos que podem ser consultados com facilidade.

2 – Nível de conhecimento

Aqui você avalia qual o seu nível de conhecimento no assunto ou na disciplina.

Assim, alguns materiais são muito aprofundados e ótimos para quem já tem uma base sólida na matéria, a exemplo de livros e doutrinas.

quem está iniciando deve dar preferência a materiais mais enxutos e com melhor didática, em detrimento de materiais extensos e cheios de detalhes.

Você já usou um material e pensou: “não tenho a mínima ideia do que isso quer dizer”? Então é sinal de que estava com um material não adequado ao seu nível de conhecimento.

Lembre-se sempre: o ideal é focar em aprender o básico primeiro!

Se você pega um material aprofundado demais logo no início, pode gastar tempo estudando conteúdo que nem cai na sua prova, desnecessariamente.

E também, desanimar com a matéria porque tem tanta informação e você não consegue filtrar o que é importante.

Então, na dúvida, comece pelo básico, como livros tipo sinopse, resumos, ou para cargos de nível médio.

Um ponto crucial da nossa mentoria é ajudar o aluno a conhecer melhor seu próprio nível de conhecimento, tornando-o mais confiante em relação à escolha do material.

Assim, o aprendizado é acelerado e recursos são poupados, tornando o método de estudos mais eficaz.

3 – Dificuldade

Segue a mesma lógica do nível de conhecimento.

Por isso, se você tem muita dificuldade na matéria, não adianta escolher um material muito aprofundado, é melhor preferir usar um material mais básico com uma ótima didática – “para iniciantes”.

Então sempre comece do básico, do mais fácil, e expanda esse conhecimento ao longo do tempo.

Nos nossos planos de estudo, a dificuldade dos alunos com cada disciplina é um item chave para a decisão de qual material iremos indicar.

Certifique-se de que seus materiais estão adequados à sua expertise e afinidade pelas disciplinas.

4 – Professores

Muito importante também que você se identifique com a didática do professor.

Assim, é essencial consumir os materiais de demonstração para conhecer o estilo de quem ministra as aulas.

Na ausência destes, também é possível procurar por aulas no Youtube ou nas redes sociais do professor. Se você não vai com a cara do professor, isso vai dificultar muito sua relação com a matéria.

Aqui também entra a dica de evitar “combos”para editais específicos, dando preferência a escolher o professor que você quer para cada disciplina.

5 – Referências

A editora do livro ou cursinho são conhecidos? Você já conversou com pessoas que adquiriram esse mesmo material? Quais as opiniões? É mais fácil confiar em uma opinião negativa ou na opinião positiva?

Analisando mais criticamente, quem está dando opinião? Alguém com amplo conhecimento sobre os assuntos abordados no material?

Portanto, é essencial conhecer referências sobre o material que você está tentando comprar, e avaliar criticamente as opiniões que vocês recebem.

Então cuidado com a galera que divulga material que nem conhece só por causa da comissão!

Tendo escolhido bem seu material de estudos, você já estará pronto para implementar o próximo pilar, que são as…

Revisões periódicas

O segundo pilar do método de estudos ideal são as revisões periódicas.

Saiba que revisar não é estudar todo o conteúdo de um edital em três meses e reler a teoria nas vésperas da prova.

A revisão do que foi estudado deve ocorrer de forma periódica, a fim de se agregar cada vez mais conhecimento, memorizar detalhes e sedimentar o conteúdo na memória de longo prazo.

Mas, afinal, por que “gastar” tempo com revisões?

Porque nós nos esquecemos das coisas. É natural que, após algum tempo sem rever um conteúdo, as informações da memória de curto prazo sejam perdidas.

Como o cérebro faz um ciclo curto para armazenar essas informações, é rápida a perda da informação e a capacidade de recordação fica extremamente prejudicada.

Se você estudar apenas uma vez determinado tópico, não importa quão você o tenha aprendido – ele estará sujeito ao esquecimento, pois não foi consolidado na memória de longo prazo.

Acreditamos que você não queira ter que estudar todo o conteúdo do zero novamente após meses sem revisá-lo. Podemos dizer com confiança que você tomará praticamente o mesmo tempo que levou para aprendê-lo da primeira vez, só para se lembrar daquilo.

Quais as vantagens de revisar

A maior vantagem de manter revisões é manter os conteúdos estudados bem consolidados na memória de longo prazo, que pode durar anos.

Como essa memória trabalha com informações estruturadas, a recuperação é facilitada e as informações podem retornar mais processadas.

Além disso, revisar os conteúdos periodicamente permite que você:

  • Agregue novos conhecimentos
  • Memorize o que aprendeu, de uma vez por todas
  • Entenda melhor como o conteúdo é cobrado em provas
  • Adquira agilidade na resolução de questões

De forma geral, se você não utilizar uma estratégia para fixar o conteúdo nos dias seguintes ao aprendizado, ele estará fadado ao esquecimento.

E se você tem dúvidas de como fazer revisões, saiba que uma das melhores maneiras de se revisar é por meio de…

Questões

Idealmente, a maior parte do tempo de revisões deve ser dedicado às questões, de forma que não se tornem uma releitura de todo o conteúdo estudado.

Só assim o concurseiro saberá qual o foco do conteúdo, como ele é cobrado em provas, o que ainda não memorizou da matéria, além de estar sempre complementando e atualizando seu material.

Estudar apenas a teoria não é suficiente para um bom aproveitamento em provas de concurso! Ter um bom método de estudos pode fazer toda a diferença!

Mas atenção: não é simplesmente responder questões e ver quantas acertou, é preciso tirar proveito de cada detalhe, até mesmo para orientação quanto a aprofundamento dos estudos e complementação da fonte única.

Então aqui está o segredo para as revisões eficientes. Quanto mais exercícios você fizer, e menos você ficar lendo da teoria, melhor.

Resolver questões é tão importante quanto o estudo primário, porém, muita gente ignora essa etapa da preparação.

Se você ainda tem dúvidas de que seja a melhor forma de revisar, aqui vão cinco motivos para que você inclua a resolução de questões no seu planejamento:

  • Ajuda na compreensão do assunto estudado
  • Auxilia na memorização dos conteúdos
  • Descobrir o que e como costuma ser cobrado
  • Ter noção do seu desempenho
  • Conhecer a banca organizadora

A resolução de questões é um ponto crucial dos nossos planos de estudo, por isso acompanhamos periodicamente o desempenho nos exercícios dos alunos!

Além disso, ensinamos como trabalhar cada um desses pilares, de forma a se construir uma base sólida desde o começo dos estudos.

Leia: Foco Nos Estudos: Como Melhorar a Concentração

Se você gostou do artigo, lembre-se de compartilhar!

Até mais.

Outras publicações

Entre em contato

Ganhe uma semana adicional no seu plano

Dias
Horas
Minutos
Segundos

Black November - matrículas feitas durante o mês de novembro terão 7 dias adicionais na duração do plano de estudos